quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Poema de Zé Preto - Sesimbra



Balada do moço chamador

P´la noite de breu
Medonha e sem estrelas
Há gritos de medos
Clamores de procelas,

No vento, a correr,
Fantasmas errantes
Semeiam p´lo escuro
Ais apavorantes.

E por entre os medos
O moço do mar
É outro fantasma
No escuro, a gritar.

É outro fantasma
Negro, esfarrapado,
Chamando a companha
A cumprir seu fado…

A cumprir seu fado,
P´lo escuro parece
Que o moço dos segredos
Da noite conhece…

O moço conhece,
Da noite, os segredos,
Não teme fantasmas
E fala com os medos.

E fala co´os medos
Na noite sem cor
O moço do mar
-Moço chamador-

-Fantasmas da noite,
Porque andais penando?
- Fomos chamadores…
… Andamos chamando…

- Vós chamais p´ra quê?
Se essa é a minha sorte?
- Tu chamas pr´ao mar…
… Chamamos pr´à morte!

E os medos e o moço
Já são conhecidos.
Já chamam, p´la noite,
Com gritos par´cidos

Na noite de breu
O moço, gritando,
Mudou-se em fantasma
P´los homens chamando.

- Ó moço fantasma,
Qual é a tua sorte:
Tu chamas pr´ao mar…
… Ou chamas p´rá morte?

No escuro da noite.
O moço, a gritar.
Não sabe se chama
P´rá morte ou pr´ao mar.

Zé Preto – 4 de Outubro de 1947
Edição 2001: Câmara Municipal de Sesimbra
Ilustração da capa: J. Diogo (2001)

6 comentários:

Marina Dias disse...

Olá,bom dia,conheci o seu blogue atraves da "cusca",e tenho de lhe dizer que os seus quadros são lindos.As paisagens de Sesimbra estão fenomenais,adorei.
Jokytas Marina

Faniquito disse...

Oii Diogo !!!

Nem sei por onde começo.Tá bom, do começo, eu sei.:)

Adorei a sua ilustração , tem tudo a ver com o poema.Ampliei a foto e pude ver em detalhes teu lindo trabalho.

Mas não posso deixar de dizer, que o poema é muito lindo.Acho que a escrita da alma faz parte do meu povo. :)

O moço conhece,
Da noite, os segredos,
Não teme fantasmas
E fala com os medos.

Que profundo isso...até salvei !!!

Amei esse post. Ainda bem que a minha amiga te convenceu a fazer um blog. hehehe

Beijinhos

Ana

Laurita disse...

Olá Diogo, obrigado pela visita e pelos votos, que agradeço e retribuo. Poema lindo e para mim é dedicado ao homem do mar. Ao ser "chamado" pró mar (sem o saber) pode ser chamado p'rá morte. Lindo e bastante real. Beijócas meus queridos.

Joana and Sofia disse...

Depois de visitar o blog da Maria só podia visitar o blog do Diogo como sempre com coisas linda, o poema é lindo.

Boa noite.

Joana e Sofia

Mona Lisa disse...

Olá Diogo

Poema lindíssimo. Um verdadeiro "Hino" ao homem do mar!

Uma soberba ilustração em completa sintonia com o poema.

Parabéns aos dois.

Bjs.

Lisa

Maria Cusca disse...

Uma das dedicatórias mais bonitas, a uma paixão.
Sesimbra e o Mar.
Jinhos grandes