terça-feira, 5 de janeiro de 2010

DEDICATÓRIA


A minha alma correndo sobre a vaga
Anda a cantar.
Bêbeda, tonta já, d`água salgada,
Não quer voltar.
Por isso vai correndo sobre a ´spuma
Toda alagada
Das ondas que lhes batem uma a uma
Impelidas p´los ventos da nortada.
-Ó alma da minha alma,
Não vogues mais.
Repara como vais toda encharcada
De vendavais!
E a minha alma, perdida, não me ouviu,
E lá seguiu
E lá foi, como em busca de uma Aurora
Pelo mar fora!

Zé Preto
(Livro: Obras reunidas - 1947)

5 comentários:

rosa-branca disse...

Olá, adorei a dedicatória e o quadro da Primavera. É lindo. Beijos

Mal-Me-Quer Bem-Me-Quer disse...

Olá Diogo
Simplsmente fantástico, adorei.
Beijocas
Ana

Mona Lisa disse...

Olá Diogo

Belo poema em que se sente o amor do poeta pelo mar(o seu"eu").
Duas almas numa só!

Parabéns pela escolha e obrigada pela partilha.

Bjs.

Teresinha disse...

Olá Diogo!
FELIZ 2010!
Bonito poema, esse do Zé Preto.
Mas os seus quadros são realmente magníficos. Acho-os todos belíssimos!
Parabéns!
Teresinha

Graça Pereira disse...

Vim espreitar os teu quadros e encontrei esta Dedicatória maravilhosa num poema tão grandioso como o mar.Gostei.
Um beijo
Graça